Rádio Web MJ

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Novo matadouro municipal de Campo Alegre garante qualidade do abate de animais no município

O novo abatedouro já está em pleno funcionamento, chegando a abater 60 animais em um só dia. A abertura do matadouro visa acabar com a prática de abate clandestino e garantir sanidade a produção.

Manhã de sexta-feira, logo cedo já começa o movimento nas imediações do Matadouro Municipal José Neto Ferreira da Silva, no município de Campo Alegre, que recebeu a licença de operação no ultimo dia 02 de Dezembro, e já encontra-se em pleno funcionamento. Nos dias de abete marchantes, fateiras, criadores, comerciantes, técnicos e pessoas da comunidade chegam logo cedo ao matadouro e acompanham o serviço de abate de dezenas de animas.

De acordo com o diretor do matadouro Herbert Freitas, o funcionamento do abatedouro representa um grande avanço no controle da qualidade das carnes que são comercializadas no município, tanto nas feiras livres da cidade e do Distrito Luziápolis, como nos estabelecimentos que comercializam carnes, como frigoríficos, açougues e supermercados.

Todos os animais abatidos passam pelo serviço de inspeção técnica municipal realizado pelo médico veterinário Ítalo Vieira, profissional responsável pelo controle de qualidade das carnes a serem comercializadas no município. Segundo ele, uma das principais vantagens é a higiene do local, “O principal benefício deste novo abatedouro é a questão da higiene. A partir de agora, os consumidores de Campo Alegre poderão ficar completamente tranquilos com relação à qualidade da carne que sairá daqui”, destacou Ítalo.

O Novo Matadouro de Campo Alegre estava com o prédio pronto havia dois anos, e aguardava a licença de operação para o devido funcionamento, que foi entregue pelo governador Renan Filho no dia 02 de dezembro durante o Governo Presente.

A partir de agora, no local estão disponíveis equipamentos de Proteção Individual – Protetor auricular, capacete, botas e cintos de segurança, além de vestimenta, já distribuídos para os profissionais que atuam no espaço. Além disso, há uma nova exigência para que só possa trabalhar quem estiver devidamente protegido.

Nenhum comentário: