Rádio Web MJ

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Prefeitura de Campo Alegre inaugurou novo prédio da primeira Unidade de Acolhimento Infantojuvenil de Alagoas

A unidade de acolhimento atenderá a crianças e adolescentes dependentes químicos dos municípios da 5ª região de saúde de Alagoas 

A Prefeitura de Campo Alegre inaugurou, nesta quarta-feira, 28, o novo prédio da Unidade de Acolhimento Infantojuvenil Luiz Mariano Neto. A unidade é a primeira e única até então em funcionamento em Alagoas. A unidade fica localizada no Distrito Luziápolis, e foi construída com recursos do governo federal no valor de R$ 500.000,00 e contrapartida do município no valor de R$ 70.266,96.

Durante a inauguração a prefeita Pauline Pereira ressaltou seu compromisso em e preocupação em buscar acolher e recuperar jovens dependentes químicos que tiveram seus direitos violados e reinseri-los na sociedade.

A inauguração contou com a participação de vereadores, da deputada Jó Pereira, do vice-prefeito James Matias, do prefeito de Junqueiro Carlos Augusto, secretários municipais, representantes da Secretaria de saúde do estado, equipe da UAI, Conselheiros tutelares do município e cidades da região e crianças e adolescentes acolhidos da unidade. 

Desde janeiro de 2015 que a unidade já vem desenvolvendo um grande trabalho que busca acolher e recuperar jovens dependentes químicos que tiveram seus direitos violados e reinseri-los na sociedade recuperados de suas dependências. Além do município de Campo Alegre a UAI também acolhe jovens dos demais municípios da 5ª Região de Saúde do estado que corresponde aos municípios de Roteiro, São Miguel dos Campos, Campo Alegre, Teotônio Vilela, Boca da Mata, Junqueiro e Anadia.

A unidade desenvolve ações continuas como aulas de violão, passeios aulas disciplinares e participação em projetos como o Projeto soldadinho verde. As ações são executadas pela coordenadora da Uai, Janaina Cavalcante, e tem capacidade para atender 24 horas e voluntariamente até 10 pacientes, com idades entre 10 e 18 anos incompletos, e de ambos os sexos.

O equipamento possui caráter residencial transitório, ofertando aos pacientes cuidados continuados, convivência em grupo, familiar e social. Os pacientes podem ficar até seis meses nessas unidades, com o objetivo de manter a estabilidade clínica, o controle da abstinência e redução das situações de vulnerabilidade social e familiar.

A equipe é composta por assistente social, Terapeuta Ocupacional, Psicólogas, Técnico de Enfermagem e monitores, e funciona 24 horas.
 
 

Nenhum comentário: