Rádio Web MJ

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Prefeita Pauline participou de encontro de gestores na AMA para debater sobre a saúde nos municípios


Parceria com Ministério da Saúde pode ser saída para evitar fechamento de hospitais

Estado e municípios discutiram na manhã desta segunda-feira (18), na sede da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), medidas para superar a crise na saúde estadual e assim, evitar o fechamento de hospitais. Uma parceria entre o Governo de Alagoas e o Ministério da saúde pode ser a opção. A prefeita de Campo Alegre Pauline Pereira e a secretária municipal de saúde Tamiris dos Santos participaram do evento.

A pauta principal da reunião foi a falta ou insuficiência de recursos destinados para os hospitais públicos de pequeno porte em Alagoas, sobrecarregando assim os municípios, que diante da crise, consideram inclusive, o fechamento de unidades.

De acordo com a secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska, a política antiga de construir e entregar hospitais nas mãos dos municípios, não funciona mais e coloca em risco a população.

“Os municípios já não conseguiam administrar essas unidades e nesse momento de crise, a situação beira o colapso. Em outras gestões o Estado foi ausente e agora, o governador determinou que fizéssemos um planejamento para apoiar os municípios nas gestões destes hospitais, mas claro, com ajuda do Ministério da Saúde”, afirmou.

Rozangela lembrou ainda, que reuniões estão sendo feitas para coordenação desse processo. As áreas 2, 3 e 4 dos municípios alagoanos já foram avaliadas, faltando apenas a área 1 para conclusão desta avaliação e posteriormente apontar a necessidade financeira de cada unidade.

Sobre um possível fechamento de unidades hospitalares no Estado, o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems-AL), a presidente Normanda Santiago não confirma a medida, mas aponta que a parceria com o Ministério da Saúde é fundamental para manutenção.

“Não pensamos em fechar unidades, porque isso seria prejudicial, principalmente para a população alagoana do interior. O Estado já se mostrou solidário às prefeituras, mas o convênio com o Ministério da Saúde é fundamental para o financiamento e manutenção dos hospitais”, completou.

Segundo o presidente da AMA, Marcelo Beltrão, a preocupação é grande e o planejamento é necessário, visto que não tem como manter 120 maternidades, por exemplo. “É preciso que seja feito um planejamento para ver quem vai ficar com maternidade, ortopedia, Urgência e emergência. A intenção é fortalecer os serviços para o cidadão, mesmo que ele tenha que se deslocar para outra cidade", comentou Marcelo.


Nenhum comentário: