Rádio Web MJ

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Secretário Leonardo Monteiro participou do lançamento do Plano Safra 2016/2017

O Estado conseguiu, no ano de 2015 e 2016, um incremento de mais de 26% de planejamento para investir na agricultura familiar e fomenta setor agrícola no interior de Alagoas 

O secretário municipal de agricultura de Campo Alegre Leonardo Monteiro participou nesta quinta-feira (14), no Palácio República dos Palmares em Maceió, do Lançamento do Plano Safra 2016/2017.

Como forma de buscar recursos para o fortalecimento da agricultura familiar e investimentos no setor urbano, de serviço e indústrias, o governador em exercício, Luciano Barbosa, afirmou que o Plano Safra 2016/2017 garante o fomento do setor, que é visto, diretamente, no interior do Estado. 

O lançamento do plano, que marca o início do novo ano agrícola, foi realizado na manhã desta quinta-feira Luciano Barbosa enfatizou que o Estado conseguiu, no ano de 2015 e 2016, um incremento de mais de 26% de planejamento para investir na agricultura familiar. Ele explicou que os recursos vindos apenas Banco do Brasil são significativos.

“A maior parte dos recursos são destinados à agricultura familiar, isso também é muito importante para nós, do Governo do Estado, porque é uma demonstração de que a agricultura familiar sai fortalecida através desses investimentos”, frisou Barbosa.

De acordo com os números referentes ao Plano Safra para o Estado no período 2016/2017, no total, entre as linhas de crédito para a agricultura familiar, o médio agricultor e a agricultura empresarial, o Banco do Brasil vai oferecer R$ 200 milhões, um aumento de 26% em relação ao ano anterior.

Nas linhas de crédito do Plano Safra, os agricultores pegam recursos com taxas de juros abaixo dos valores de mercado. O governo compensa o banco pelo pagamento mais baixo de juros com recursos do Tesouro, a chamada equalização.

O secretário de Estado da Agricultura, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos, disse que neste ano o governo conseguiu que a burocracia para o financiamento diminuísse. "É preciso que o agricultor procure a gerência do banco para resolver sua situação e conseguir mais crédito", orientou.

O superintendente do Banco do Brasil para Negócios e Varejo com o Governo, Marco Antônio Felício Sanches, disse que o financiamento é para investimento e movimenta o setor da agricultura. "Existem produtores que têm dívidas, mas os que estiverem em dia poderão adquirir um novo crédito. isso não impede que eles financiem uma nova produção", explicou.


Nenhum comentário: