Rádio Web MJ

sábado, 25 de julho de 2015

Conheça o Grupo de Apoio vida que desenvolve trabalho de acolhimento a dependentes químicos em Campo Alegre

O Grupo de Apoio vida,  foi fundado em maio de 2014 e surgiu da necessidade de enfrentamento direto ao uso abusivo de drogas no município de Campo Alegre. Inicialmente, esse trabalho começou como um projeto piloto no distrito de Luziápolis, devido ao uso sistemático de álcool e outras drogas por  jovens e adultos, portanto o grupo desenvolve um trabalho de acolhimento a dependentes químicos e co dependentes, visto que os familiares geralmente encontram-se em situação de vulnerabilidade tão quanto o usuário.

Na prática, esse trabalho consiste primeiro em catalogar de forma estratégica famílias que estão vivenciando esta problemática, visto isso, começamos a fazer visitas periódicas com o intuito de levá-los para uma reunião que geralmente acontece de quinze em quinze dias na Escola Felizardo em Luziápolis com uma técnica terapêutica de partilhar experiência e nessa simplicidade, conseguimos identificar os casos que devem ser encaminhados para tratamento interno (em comunidades terapêuticas) ou os casos que devem ser acompanhados pelo grupo, buscando reinserir o indivíduo socialmente, e aqui vale ressaltar o trabalho em rede, contando com parcerias fundamentais da Secretaria de Educação, Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social, Igrejas, Sindicatos, Ong’s (Instituto Céu Aberto). 

Nestas ações o grupo busca direcionar o jovem ou adulto para prática de esporte, reingressando na escola, participando de grupos de igreja, de teatro, enfim tudo que for disponibilizado pela comunidade que o leve a ter uma vida mais digna e saudável.

“Nós atendemos em torno de trinta famílias, das quais já foram feitos doze encaminhamento para tratamento, entre estes três finalizaram o período de internação e por isso faz surgi um novo desafio. Ressocializar jovens que passaram meses confinados e agora precisam ser colocado de volta para o núcleo da sociedade, portanto foi criada pelo próprio Grupo de Apoio Vida uma fábrica de jarros, na qual esse indivíduo possa trabalhar até quem sabe conseguir manter sua família e conquistar sua autoestima, que lastimavelmente foi marginalizada pela sociedade”, ressalta o educador social e Coordenador do Grupo: Everton Wanderland Bomfim.

O Grupo de Apoio Vida tem como parceiro fundamental para desenvolver seu trabalho o apoio do poder público municipal que abraçou a causa de forma responsável, planejada, e corajosa, visto que, estatisticamente Campo Alegre não está na “zona de risco” do estado de Alagoas. Assim, o Grupo de Apoio Vida pode  constatar que o compromisso da prefeitura com projetos sociais foi determinante na consolidação desse projeto.



Nenhum comentário: