Rádio Web MJ

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Justiça Itinerante atendeu mais de mil cidadãos em Luziápolis no município de Campo Alegre

Chefe do Poder Judiciário de Alagoas, desembargador Washington Luiz destacou a satisfação das pessoas ao serem beneficiadas

Mais de mil pessoas do município de Campo Alegre, no interior de Alagoas, aproveitaram a ação promovida pelo Projeto Justiça Itinerante, do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), nesta quarta-feira (10), para resolver problemas na documentação. O evento, no distrito de Luziápolis ocorreu durante todo o dia e teve casamento coletivo de mais de 200 casais.

A estudante Nayane Albuquerque conta que seu nome foi registrado com a letra “y” na primeira via da certidão de nascimento. No entanto, quando ela precisou de uma segunda via, descobriu que o nome havia sido escrito com a letra “i” no cartório. Como todos os outros documentos foram emitidos com “y”, ela procurou a Itinerante para resolver o problema. “Deu tudo certo. Eu achei que fosse demorar mais, mas foi tranquilo”, avaliou.

De acordo com o juiz coordenador do Projeto, André Gêda Peixoto Melo, a ação do Judiciário foi produtiva, já que a procura foi grande pelas equipes do Projeto para a emissão de documentos como carteiras de identidade e de trabalho, título de eleitor e CPF. Além desses serviços, os cidadãos puderam resolver processos de divórcio consensual, pensão alimentícia, suprimento de óbito e reconhecimento de paternidade.

O presidente do Judiciário alagoano, desembargador Washington Luiz Damasceno Freitas, falou sobre a importância do trabalho desenvolvido pelo Projeto Justiça Itinerante nas comunidades.

“É interessante porque aproxima a Justiça da sociedade. Aqui em Campo Alegre constatamos a satisfação das pessoas ao serem beneficiadas com a prestação jurisdicional, que viabilizou a emissão de diversos documentos. O melhor de tudo é que esses serviços foram prestados gratuitamente”, declarou Washington Luiz.

Para a prefeita de Campo Alegre, Pauline Pereira, “a parceria entre o Judiciário e o município é de importância extrema, pois trouxe cidadania para o distrito de Luziápolis, que há muito tempo estava carente dos serviços oferecidos à população pela Justiça”.

Os magistrados José Miranda Santos Júnior, Bruno Acioli Araújo e Philippe Melo Alcântara Falcão colaboraram com as atividades. A Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal) levou, por meio do Programa Cidadania e Justiça na Escola (PCJE), o Cine Esmal para as crianças.

Os trabalhos foram realizados em parceria com o Banco do Brasil, a Secretaria de Estado da Defesa Social, a Defensoria Pública, o Ministério Público, o Tribunal Regional Eleitoral, o Tribunal Regional do Trabalho, o Cartório de Registro Civil de Campo Alegre e a Prefeitura.

A Prefeitura de Campo Alegre deu todos apoio logístico e de estrutura na realização do evento.



Nenhum comentário: